Arquivo da tag: surpresa

O dia em que fui surpreendida!

Poxa, to emocionada. Era sempre eu que fazia essas coisas, deixar bilhetinhos, fazer mini livros, surpreender…E agora, acabei de ser surpreendida! Devo admitir que é um sentimento ótimo, todo mundo deveria sentir! E é por isso também, que eu faço essas coisas. Sei o quanto uma pessoa se sente especial ao ser surpeendida por alguém.

Imagine só: estou eu lá no meu Twitter, follower vai, follower vem…Eis que um dia um cara começa a me seguir [vou chama-lo de Bartolomeu* pois ele prefere o anonimato]. Isso faz pouco tempo, menos de um mês ou sei lá. Eu retribuo o follow e vez ou outra trocamos replies.  Nada muito íntimo, não sabia nada sobre ele. Mas ele era simpático e eu o mantinha ali.

Hoje ele me mandou uma direct falando que queria ser meu amigo e perguntando onde era pra deixar o bilhete. Achei graça, claro, mas nem dei muita bola. Depois de algumas mensagens trocadas ele fala algo do tipo: “Estou indo até a placa torta deixar meu bilhete” e para de responder minhas outras mensagens. Eu fui ver meu seriado, jantar, whatever. Depois, quando voltei pro computador, vi uma mensagem dele dizendo que tinha deixado o bilhete ‘na floreira ao lado da placa torta’. Gente, COMO ASSIM? Pensei comigo mesma…Eu já tava toda de pijama, mas a curiosidade era muito maior.

Coloquei uma roupa rapidinho, desci de chinelão mesmo e depois de umas boas olhadas lá pra fora, pra ver se não tinha ninguém suspeito, eu saí do prédio e fui em direção a floreira. [o medo de ser sequestrada era grande mas a rua estava vazia e eu precisava ver se tinha ou não um bilhete!]

Queria até ter tirado foto do bilhetinho enrolado no ferro da floreira escrito “Srta. Biscoito” hahaha peguei ele rapidinho e voltei pro prédio. Só fui ler enquanto estava no elevador. Meu, que fofo! Não é que ele veio até a minha rua pra deixar o bilhete mesmo? E olha que ele nem mora perto heim! Cheguei em casa rindo e contei a história pra minha mãe que estava com um amigo dela [que inclusive diz que é fã do meu blog e adora ler meu twitter, beijos Cássio! hahaha] e eles acharam um máximo.

To até agora achando isso legal. Todo mundo deveria interagir assim sabia? Tem coisa mais simples que um papel e uma caneta pra fazer alguém sorrir? Hoje, enquanto tomava banho, tava pensando em como vou continuar minha história com o vizinho do prédio ao lado, meu amigo da placa torta. Ele já respondeu meu bilhete [inclusive o post ta vindo aí] e eu quero dar um rumo legal pra nossa história. O que o Bartolomeu* fez, tem tudo a ver com o que quero fazer com meu vizinho. Aguardem!

Ps. Bartolomeu*, adorei o que você fez! Só pelo pedido inusitado, você ganhou permissão exclusiva pra ser meu amigo. Hahahaha obrigada! Um beijão 😀

Anúncios

16 Comentários

Arquivado em Comportamento, Eu, Fatos da vida, Relacionamentos

A Placa Continua Torta…

Hoje acho que faz uma semana que conheci o Danilo, meu amigo da placa torta. Voltando da aula de teatro, achei que ia encontrar ele de novo [confesso que andei até mais devagar pra chegar em casa na esperança dele me alcançar] mas nada.

Quero muito me comunicar com ele! Pensei em deixar um bilhete se a janela dele estivesse apagada, pra ele ver quando chegasse em casa, mas quando abri a minha janela, vi que a dele já estava acesa, ou seja…Ele chegou antes de mim 😦

Que sem graça né? Resolvi escrever o bilhete mesmo assim. Vai que ele vê amanhã de manhã? Pensei na hipótese também, dele ter uma namorada, que vai chegar daqui a pouco e assim que chegar na porta do prédio vai ver um bilhete escrito o nome do namorado dela – e claro que ela vai abrir pra ler – daí ela faz um escândalo perguntando quem é essa mequetrefe que escreveu um bilhetinho pra ele e deixou na porta! Ele pode dizer que não é o Danilo do bilhete. Pode dizer que tem outro Danilo no prédio. Pode dizer que tem alguém lelé da cuca e que ele não faz idéia de que se trata o assunto do bilhete e se faz de desentendido. Ou pode ser sincero e contar que um dia fez uma amiga na rua, aleatoriamente! [risquei a última opção pq é óbvio que ela é totalmente impossível]. Pode acontecer também, do cara que mora no primeiro andar chegar/saír antes dele e não aguentar de curiosidade pra ler o bilhete [eu leria!] Ou o zelador do prédio vai limpar a entrada e vai ver um papel grudado no vidro, tirando ele sem a menor sensibilidade e jogando no chão, naquela água cheia de desinfetante deixando o pobre do bilhete todo borrado e molhado, pq eu escrevi com caneta esferográfica. Ou pior! Chover e borrar o bilhete inteiro, deixando ele intácto porém ilegível.

Bilhete

…enfim. Muitas coisas podem acontecer com esse bilhete, e acho que essa é a parte legal da história. Esperar um bilhete de volta? Nunca mais ver o Danilo na vida? Encontrar, finalmente, a placa da nossa rua desentortada? Aguardo cenas do próximo capítulo incerto.

Imagens para comprovar a veracidade da minha história:

Bilhete na porta(o bilhete grudado na porta do prédio dele)

placa-torta(a placa torta)

21 Comentários

Arquivado em Comportamento, Cotidiano, Eu, Fatos da vida, Relacionamentos