Arquivo da tag: papel

Achados e Perdidos

Mais um achado! E dessa vez, não fui eu que achei: uma leitora do blog viu o primeiro post da sessão achados e perdidos e resolveu contribuír com um achado dela!

A história do achado:

A @mahwdiamonds estava socializando na escada da faculdade, quando viu um papelzinho no chão. Pegou, leu com as amigas e todo mundo ficou super curioso com o que dizia o bilhete. Depois de inventar mil teorias, ela pediu que ninguém o amassasse nem jogasse fora porque ela tinha que mostrar pra uma pessoa  – fofa né?

Teorias:

– Com certeza o bilhete foi escrito por uma menina. Usou 2 cores de caneta, sublinhou palavras e tem a letra bonita. Caprichosa, apesar de ser apenas um pedaço de papel rasgado e conter errinhos de português.

– Seria um casal lésbico? Ou apenas amigas carinhosas? Na minha opinião, a história é bem menos babado do que parece. Eu acho que elas são amigas e a Anônima (que escreveu o bilhete), vai passar o final de semana com outra turma de amigas e está fazendo ciuminhos na Rafaela – vulgo Guidonzinha mais linda da sala – mas tudo de brincadeira. Amigas costumam se tratar carinhosamente mesmo, não acho que sejam um casal. Mesmo porque, se fossem, ela não falaria que traiu a namorada num bilhetinho qualquer né?

– Há quem diga que no final do bilhete está escrito “Ele te trai!”. Apesar de discordar, temos que levar em conta todas as hipóteses. Se ela conta para a amiga que o cara trai ela num bilhetinho assim, sem mais nem menos, eu suponho que ela não tenha coração né? Nenhuma amiga contaria uma coisa dessas por bilhete.

E aí, vocês tem alguma versão diferente?

Se você achar um bilhete, não deixe ele se perder no mundo. Guarde, escaneie quando chegar em casa e depois mande para o meu e-mail: re.chelliarcoverde@gmail.com, contando onde você achou e, se tiver criatividade, fale o que pensa sobre o bilhete. A Rebiscoito agradece!

Anúncios

12 Comentários

Arquivado em achados e perdidos, Fatos da vida

Achados e Perdidos

Aqui começa uma nova sessão do meu blog chamada “Achados e Perdidos”.

Como muitos sabem, sou viciada em bilhetes e gosto de andar reparando em tudo que vejo pelo mundo. Seja nos muros da cidade, no céu, no inseto que anda na folha da árvore ou até mesmo no chão. Sempre fui muito curiosa, viciada em “fuçar” e principalmente, encantada por pessoas. Por isso resolvi compartilhar essa minha mania com vocês, já que tanta gente reclama que eu posto pouco.

Aqui, vou colocar bilhetes que acho por aí. Confesso que ando de olho em todos os papeizinhos no chão e de vez em quando, acho coisas interessantes ou no mínimo curiosas (sem contar quando paro no meio da rua pra  pegar um papel qualquer e é uma propaganda de cartomante, hahaha). Da pra passar hoooras pensando em quem escreveu o bilhete ou em porque aquilo estava escrito.

Hoje começarei com um dos primeiros bilhetes que achei, na minha rua e fiquei dias, conversei com amigos, discuti com o mundo sobre o que poderia ser esse bilhete. Que tal a gente compartilhar opiniões sobre ele? Ou vocês inventarem uma história sobre o que leram?

Alguns “fato sitado” sobre o bilhete, quando mostrei para os meus amigos:

“Esse bilhete é falso, o cara escreve tudo errado mas escreve ‘Jhonny’, com H e 2 N’s no nome?”

“O Jhonny era o faxineiro da empresa, e foi acusado por terceiros por roubar coisas na sala do seu chefe. Ele só entra porque é obrigado a limpar, mas é honesto e quer deixar tudo bem claro!”

“A empresa estava sendo assombrada por fantasmas e acharam que o tal do Jhonny era um macumbeiro e tinha toda a culpa pelas assombrações que apareciam na empresa.”

E aí, me contem a versão que vocês imaginaram pra esse bilhete! E se alguém achar bilhetes interessantes na rua, escaneiem e me mandem que com certeza vou adorar colocar em minha coleção!

17 Comentários

Arquivado em Comportamento, Cotidiano, Relacionamentos

A Placa Continua Torta…

Hoje acho que faz uma semana que conheci o Danilo, meu amigo da placa torta. Voltando da aula de teatro, achei que ia encontrar ele de novo [confesso que andei até mais devagar pra chegar em casa na esperança dele me alcançar] mas nada.

Quero muito me comunicar com ele! Pensei em deixar um bilhete se a janela dele estivesse apagada, pra ele ver quando chegasse em casa, mas quando abri a minha janela, vi que a dele já estava acesa, ou seja…Ele chegou antes de mim 😦

Que sem graça né? Resolvi escrever o bilhete mesmo assim. Vai que ele vê amanhã de manhã? Pensei na hipótese também, dele ter uma namorada, que vai chegar daqui a pouco e assim que chegar na porta do prédio vai ver um bilhete escrito o nome do namorado dela – e claro que ela vai abrir pra ler – daí ela faz um escândalo perguntando quem é essa mequetrefe que escreveu um bilhetinho pra ele e deixou na porta! Ele pode dizer que não é o Danilo do bilhete. Pode dizer que tem outro Danilo no prédio. Pode dizer que tem alguém lelé da cuca e que ele não faz idéia de que se trata o assunto do bilhete e se faz de desentendido. Ou pode ser sincero e contar que um dia fez uma amiga na rua, aleatoriamente! [risquei a última opção pq é óbvio que ela é totalmente impossível]. Pode acontecer também, do cara que mora no primeiro andar chegar/saír antes dele e não aguentar de curiosidade pra ler o bilhete [eu leria!] Ou o zelador do prédio vai limpar a entrada e vai ver um papel grudado no vidro, tirando ele sem a menor sensibilidade e jogando no chão, naquela água cheia de desinfetante deixando o pobre do bilhete todo borrado e molhado, pq eu escrevi com caneta esferográfica. Ou pior! Chover e borrar o bilhete inteiro, deixando ele intácto porém ilegível.

Bilhete

…enfim. Muitas coisas podem acontecer com esse bilhete, e acho que essa é a parte legal da história. Esperar um bilhete de volta? Nunca mais ver o Danilo na vida? Encontrar, finalmente, a placa da nossa rua desentortada? Aguardo cenas do próximo capítulo incerto.

Imagens para comprovar a veracidade da minha história:

Bilhete na porta(o bilhete grudado na porta do prédio dele)

placa-torta(a placa torta)

21 Comentários

Arquivado em Comportamento, Cotidiano, Eu, Fatos da vida, Relacionamentos