A gente é onde a gente tá.

AVISO: Este post, excepcionalmente, não terá imagens pois estou no computador do meu avô e não tenho artifícios para criar algo legal.

Resolvi escrever um devaneio que tive comigo mesma, agora pouco, voltando pra casa as quase 4 da manhã.

Estou aqui na praia, casa da minha vó, onde desde pequena venho e passo a maioria das viradas de ano. Sempre a mesma coisa, a galera com seus carros potentes e tunados andando na avenida competindo para ver quem tem o som mais alto ou o motor mais potente, as menininhas com mini shorts e mini saia rebolandinho por aí fazendo os garotos babarem, os bêbados, as multidões andando no calçadão e esse ano até algo inusitado que andei vendo: muleques de 12 anos [mais novos que meu irmão!!!] bombados e horríveis! Daí eu repito meu pensamento: essa juventude está mesmo perdida. Mas enfim…Não é aí que quero chegar.

A questão é: a gente fica falando mal de tudo isso, das pelegas, das pessoas querendo chamar atenção, da farofada na praia e da ridiculísse alheia mas tooodo ano é a mesma coisa. A gente vem pra praia, se encontra, fala sempre as mesmas merdas, repara sempre nos mesmos defeitos, fala mal das mesmas coisas, faz as mesmas piadas e vive as mesmas situações e é sempre MUITO gostoso.

Hoje me peguei pensando, que esse pessoalzinho que eu ando aqui, se saísse com eles em SP pruma noitada típica minha [daquelas bar-balada] eu iria odiar. Eles também iriam odiar. E todo mundo ia acabar de cara feia. Não literalmente, mas sabe? Nada a ver uma coisa com a outra?

Aqui eu faço amigos que não são do mesmo estilo que eu, não são da mesma idade, da mesma cor ou do mesmo tamanho e mesmo assim me divirto pacas! É engraçado como o ambiente que a gente está, interfere no nosso…”eu interior” não é mesmo?

Não que eu mude quando estou aqui, mas agora pouco, recebendo uma mensagem de um amigo meu de São Paulo, me dei conta do quão distante eu estou da minha realidade, aquela que vivo lá. Imaginei ele aqui comigo e pensei: nossa…não teria nada a ver! hahaha Ele é tão legal e tão ivertido quanto, só que são 2 coisas totalmente distantes uma da outra.

Mas na real, todo mundo muda. Todo mundo vira adolescente. Todo mundo quer se divertir, falar besteira, ficar de bobeira…E isso é demais não é? Sei lá se deu pra entender tudo que eu quis dizer. Só sei que na minha cabeça eu entendo.

Então, um feliz ano novo pra todo mundo! Espero que ele seja melhor ou tão bom quanto o meu 2008 foi! 2000inove!!! [passou um aeromotor com uma faixa desejando isso aqui na praia, haha achei ótimo mas andei vendo no twitter que já tá manjado então…..]

Fim.

Anúncios

14 Comentários

Arquivado em Comportamento, Eu, Fatos da vida

14 Respostas para “A gente é onde a gente tá.

  1. Adoro o seu blog, e totalmente entendo o que você está dizendo!
    Tenha um ótimo 2000inove!!!

  2. A gente tem várias roupas mesmo, para vestir em diversas ocasiões. Pessoas que nos tocam de formas diferentes e com quem a gente se permite ser de formas diferentes também. É curioso perceber os contrastes, o que pertence a cada lugar e onde você está nisso tudo.
    Beijo.

  3. Temos que ter jogo de cintura, para melhor lidar com as situações que deparamos ao longo de nossa caminhada. Para mim, o que me é diferente me espanta, mas depois acabo que acostumando. Tem coisa que não aceitarei jamais, isso é fato.

    Beijos.

  4. huummm…transtorno dissociativo de identidade?

    rs

    beijos

  5. pois é Ju, quase isso hahaha

  6. fridafreak

    isso de meninos de 12 anos bombados foi nojento!

  7. Natha

    Quanto tempo!!!!!
    hahaha nossa.. li tudo que eu perdi no final do ano!
    comecei a trabalha e fiquei super corrida!
    mais ei!
    feliz ano novo!
    e todos os meus planos do ano passado ja mudaram na primeira semana!
    fui demitida! =S
    passei o natal no interior.. é legal sair da rotina totalmente as vezes, justamente para poder “ver” de longe a vida que vc realmente leva!
    beijo

  8. é verdade. quando vou pra praia – quase sempre a mesma – me divirto com a turma de lá de formas diferentes, mas mesmo assim muito boas. também já pensei nos meus amigos por lá e não creio que seria legal. e sim, o ambiente sempre influencia nosso humor, nosso comportamento e (pq nao?) nossos valores.
    muito bom teu blog! linkei lá no meu 😉

  9. Cássio

    Renatinha doida doida… Sensacional! ha, ha, ha!!! Bjs!

  10. tá tudo muito bom, tudo muito bonito, mas a gente quer saber é do cara do elevador.

  11. adoro esse teu cantinho! adoro suas histórias e sua forma de escrever… engraçado que sei da sua existência desde a época do hc4grrrls, onde eu pegava vários layouts para usar no blig, blog e essas coisas todas! o mundo é uma caixinha mesmo, mas acredito que quem quer, se encontra. talvez não seja tão grande quanto parece.

    me identifico com diversas visões suas, como esse post. já me senti assim e ainda me sinto, pois, conheço pessoas de diversas realidades e ambientes, mas como você também se mostrou, consigo me adaptar a elas. na cabeça, o pensamento e as críticas rolam sempre… mas é legal ver que, conforme o tempo vai passando, nossa maneira de olhar e curtir muda.

    com 15 anos resmungaria e ficaria entediada e puta, na minha.
    hoje eu curto junto e dou valor a muitas outras coisas que as pessoas e o ambiente possam me oferecer.

    acho que a gente é o que quiser, independente do lugar e da sua forma de encarar.

    camaleões!

    afinal, EU SOU é muito pequeno…

    um beijo!

  12. Tb acho “2000inove” o máximo. Prabéns à agencia de propaganda que fez isso pra ultima campanha da Claro!
    ;P

    bjsss

  13. Adorei esse texto, pois sempre passei final de ano na casa dos minhas avós, que por sinal (e muita sorte) são vizinhas. Só quena minha infância eu não podia sair numa cidade grande, mas quando passava férias na casa delas eu saía com meus primos e voltava lá pelas 11 (!) da noite… era muito tarde para minha época, não que eu seja velho, porém 15 anos atrás eram outros tempos e em uma cidade pequena não tinha os problemas q tem uma cidade grande. Hohe eu moro aqui nessa cidadezinha, 2 quarteirões das minhas avós e não consigo vê-las sempre como eu fazia quando passavam as férias lá. Eu sempre me dei bem nos dois lugares, porém eu não me imagino morando novamente numa cidade grande. Mesmo porque eu sempre vou para lá rever os amigos do tempo do colegial. Eu sei o q se passa nessa sua cabeça, um monte de gente diferente juntas não dá certo, a não ser que fossem todos como você, que sabe ser o que é onde você está! Parabéns pelo texto! Me relembrou muita coisa!

  14. quando escrevi esse texto achei que as pessoas não iam curtir mto ou não iam entendem pq era uma coisa que eu sempre imaginava mas nunca tinha conseguido explicar pra ninguém. legal saber que a galera lê, entende, e pensa igual 😀
    valeu pelo comentário adriano!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s