O Começo de um e Outro

Sempre tive vontade de fazer um blog para traduzir em palavras alguns pensamentos que eu acho que só se passam pela minha cabeça. [ou não] Mas vamos lá.

Hoje, depois da facul, voltei pra casa de metrô.
Chegando na plataforma, reparei que 3 pessoas que estavam ao meu lado ouviam música com um fone de ouvido e mal se olhavam.Daí, um desses 3, por ter um jeitinho mais descolado me fez pensar algo que geralmente penso: o que será que ele está ouvindo nesse fone?

Tive a idéia de pegar um papel na bolsa, sentar do lado dele e ‘conversar’ mas sem parecer invasiva. A porta do metrô parou bem na minha frente. Esperei ele entrar e o segui até o banco.
Assim que sentamos, eu já estava com papel e caneta na mão [um papel que por sinal era uma nota fiscal que tinha perdida na minha bolsa.]. Daí, antes de eu terminar de escrever, vi que o cara pegou um caderninho e um lápis vermelho e começou a desenhar. Nossa, que legal, ele realmente tinha a ver comigo – pensei. Escrevi o bilhetinho e dei pra ele, assim, sem olhar nos olhos – para não se tornar algo muito íntimo. Ele olhou e pegou logo em seguida meio instigado. Entendendo minha proposta, conversamos:

(clique na imagem para ampliá-la)

Terminamos antes da estação Sumaré. Mas acho que pela falta de contato visual durante a conversa, não ficou uma situação constrangedora. Ele continuou fazendo seus desenhos no caderninho com seu lápis vermelho e eu peguei um papelzinho cheio de graxa que tinha usado para limpar minha bolsa um dia e continuei o desenho que já tinha começado nele…

Quando chegou na estação que ele ia descer, eu me afastei pro lado para ele sair, e saindo, ele disse: Tchau [com um sorriso]. Eu fiz o mesmo.
Uma breve amizade, simpática e acolhedora que durou mais ou menos uns 15 minutos e acabou assim, em segundos – pra nunca mais voltar.

Fim.

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Comportamento

7 Respostas para “O Começo de um e Outro

  1. massa o blogue. começou mandando bem. ah, nunca fiz isso. quer dizer, algo parecido, mas isso não. só que no caso foi com um livro (o retrato de dorian gray) e foi uma garota que perguntou o que eu estava lendo e tals. foi uma amizade intensa que durou uns 5 minutos.

    11 de Junho de 2008 12:14

  2. Já que fui o primeiro a ver o blog, serei o primeiro a comentar.

    Sempre quis fazer o que você fez, puxar ‘conversa’ com estranhos. Mas sou meio tímido pra essas coisas.
    E além disso, os curitibanos são conhecidos pela sua falta de simpatia (o que não ajuda muito).

    11 de Junho de 2008 12:06

  3. brunetta

    muito bom

  4. Que bonito esse acontecimento. Já tive até um parecido mas que por final das contas…. passaram-se os ’15minutos’ e o resto das horas, dos minutos, dos segundos… foram preenchidos na minha mente; apenas relembrando de cada tempinho que estive com ela alí. Parabéns para o post, Adorei muito. xoxox

  5. Luiza

    Ah! Que lindo, isso! Queria muito ter coragem de puxar essas conversas com estranhos, mas morro de vergonha!

  6. Que vontade me deu agora de puxar um papo com alguém na rua, sério ! HAHAH *-*

  7. Sabe , a um bom tempo eu vejo o seu blog e suas loucas aevnturas rs, acho que o mundo precisa de pessoas assim como voce ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s